Sábado,�24 deJunho,�2017

Prata

Segue-se a versão alargada do artigo publicado na revista Exame em Setembro de 2004

A Prata vai ser Ouro

 

Por André Ribeiro

Os metais preciosos estão a regressar como investimento alternativo ajudando na diversificação dos portfólios

O mercado bull desta década já emergiu e está em ascenção. Após duas décadas de preços em declínio, os metais preciosos e mercadorias (commodoties)  estão de volta. Neste mundo das novas tecnologias foram considerados fora de moda. No entanto, há evidências de que está a ocorrer uma incrivel viragem no valor, saindo dos bens de papel intangivel, em direcção aqueles com valor tangivel e intrinseco, como os metais preciosos. Ao contrário da moeda de papel, a oferta de metais preciosos é fixa e não pode tornar-se sobre-inflaccionada. Os metais preciosos representam a única moeda segura durante períodos de instabilidade nos mercados e oferecem uma solução segura como investimento.


O investimento em metais preciosos está a começar a capturar a atenção dos media. Está a tornar-se reconhecido como um investimento alternativo ao nível de outras categorias, ajudando na diversificação dos portfólios.

O preço das acções das empresas mineiras e do ouro e da prata, tem vindo a aumentar consecutivamente nos últimos três anos.

Os principais motivos por detrás desta subida são o estimulo monetário por parte dos bancos centrais que imprimem cada vez mais dinheiro com maior velocidade, a falta de oferta, a maioria dos grandes depositos de metais estão já a ser explorados e escasseiam novas descobertas e o excesso de procura, que  é superior á oferta disponivel. O preço futuro de qualquer produto, neste caso os metais preciosos é em último caso afectado por um só factor dominante - a sua procura física ou sua oferta fisica. Como ensina a teoria económica, se a procura excede a oferta os preços sobem.

Ouro_1971_1982

No inicio dos anos 1970, o preço do ouro e da prata começou a subir juntamente com a platina, o petróleo, a inflação e as taxas de juro nos EUA. A prata vinda de cerca de $2 chegou a atingir um pico intra-day no início de 1980 de $52 por onça, no mesmo período em que vindo de cerca de $40, o ouro ultrapassou os $800 por onça.

Ao contrário do último bull market nos metais preciosos dos anos 1970,  em que os bancos centrais mantiveram as suas reservas de ouro, este será conduzido para cima por restricções na oferta.

Prata_1971_1982

Há mais de uma década que o ouro e a prata têm apresentado défices na oferta. Estes défices têm sido compensados pelas vendas das reservas de ouro por parte dos Bancos Centrais, que impediram uma asfixa da oferta. A grande maioria dos governos ocidentais consideraram o ouro um producto de baixa rentabilidade e têm estado a desfazer-se das suas reservas ao longo da última década. Sem esta oferta, há muito que os preços haveriam subido. Os cofres dos bancos centrais estão agora meio vazios. No caso da prata, não houve um ano nos últimos 25 anos em que a produção das minas fosse capaz de satisfazer a procura. No início da segunda GGM, só os Estados Unidos tinham uma reserva de cerca de 25 onças por homem, mulher e criança. Essas reservas de prata praticamente desapareceram hoje. A maioria das reservas de prata de fácil acesso acima do solo, foram consumidas durante os últimos 50 anos. O mercado da prata está muito dependente da oferta secundária que vem principalmente de filme ou fotografia reciclada.

Os investidores costumam olhar para o ouro e a prata como simples alternativas, contudo as suas dinâmicas são bem distintas. Tendemos a guardar ouro como reserva de valor, a prata é outra história. Enquanto que grande parte do todo o ouro produzido ao longo da história ainda existe hoje em dia, a prata é consumida.

Ao contrário do ouro, poucos mineiros produzem prata como metal primário. A maioria da prata é produzida como produto paralelo na minagem do ouro, cobre, niquel e zinco. E quando os preços dos metais preciosos são relativamente baixos em relação ao custo de produção, como ainda acontece com a prata e relativamente menos com o ouro, poucas quantidades são produzidas.

As acções do ouro e da prata, alavancando os ganhos dos metais, têm proporcionado enormes retornos aos seus investidores.

Para entender melhor a alavancagem do preço dos metais sobre as acções mineiras de ouro e prata, vejamos um caso prático. Por exemplo a empresa imaginária OuroDourado produz ouro com um custo de $300, se o preço do ouro for de $330, a empresa tem um lucro de $30. Suponhamos que o preço do ouro sobe para os $380, mantendo-se o custo constante, a OuroDourado passa a ganhar $80 por onça. Ou seja um aumento do preço do ouro de aproximadamente 15%, leva a que os lucros da OuroDourado tenham um acréscimo de 166.7%.

A indústria mineira de ouro tem vindo a consolidar e a tornar-se maior. Há uma década a maioria dos grandes produtores de hoje, tinham uma fracção do tamanho presente. Através de fusões e aquisições, empresas como a Newmont Mining e Barrick aumentaram a sua produção para o dobro, triplo ou mais. A maioria dos gigantes mineiros, têm uma vida mineira projectada de apenas oito a dez anos.

A procura do ouro tende apresentar um pico no final do ano, reflectindo a compra de jóias nas férias e o princípio da época de casamentos da Índia, o maior consumidor do mundo do metal.

A prata aparece citada várias vezes na Bíblia,  considerada desde sempre como um metal precioso. Este metal tem sido usado ao largo de milhares de anos em ornamentos e utensílios, para a troca e como base de vários sistemas monetários. É um elemento quimico puro, metálico e no seu estado natural apresenta-se branco e brilhante. Macia, muito densa (um centímetro pesa cerca de dez gramas e meio), dúctil e maleável, é o metal que melhor conduz o calor e a electricidade.Na actualidade a prata é utilizada para múltiplicas aplicações, incluindo de joalharia, saúde, industriais e fotográficas.

Há apenas uma fonte de prata nova que é a obtida em minas. Um facto fundamental a reter é que hoje em dia o número de produtores primários deste elemento no mundo é muito reduzido. A maior parte da prata é produzida como produto secundário no processo de extracção de metais como ouro, cobre, chumbo e zinco. Na última década a oferta de prata proveniente destas fontes cresceu no seu conjunto apenas 4%.

Para além da extracção de prata como produto secundário, a sua outra fonte mais barata é proveniente da sucata. Apesar dos custos de recuperação de sucata tenderem a ser suficientemente baixos para fornecer prata a um preço muito baixo, esta fonte só consegue dar resposta a uma pequena fracção das quantidades procuradas.

Quando a produção de estas três fontes se revela insuficiente para satisfazer a procura, a diferença terá de vir dos stocks refinados de prata. Há menos prata disponivel para investir do que ouro. Um estudo do CPM Group que analiza os metais preciosos afirma que entre 1990 e 2001 as quantidades disponiveis de prata são de uma onça por cada duas onças de ouro. Estudos mais recentes desta entidade afirmam que esta diferença se tem vindo a acentuar.

Apesar da oferta de prata ter estabilizado nos últimos anos, a procura continua a crescer em todas as suas principais áreas de consumo. A parte de leão da procura do metal provém das suas aplicações indústriais, em que representa uma pequena parte do produto acabado. Consequentemente se o preço da prata subir para 5 ou 10 vezes o seu valor actual, a procura industrial irá baixar muito pouco. Esta procura é portanto muito inelástica. Por exemplo se um computador que custa $1.000 e incorpore componentes que representam $1 em prata e o preço representado pela prata subir para $5 ou $10, isso não irá impedir o fabricante de utilizar prata ou o consumidor de comprar o computador.

Outra grande aplicação da prata é a fotografia, apesar do surgimento das novas máquinas digitais que eliminam a necessidade de rolo fotográfico, a quantidade de máquinas analógicas no mercado é ainda enorme.Para além disso a maior parte do papel utilizado para imprimir as fotografias tiradas pelas máquinas digitais tem prata e a utilização das máquinas descartáveis de baixo custo continua a crescer fortemente especialmente no mercado chinês e indiano. Neste mercado a prata é utilizada nos raios-x, e pelicula para filmes e videos.

A terceira importante fatia da procura é a joalharia e também tem crescido ao longo dos últimos anos. Uma grande diferença entre o ouro e a prata, é que o primeiro metal é principalmente utilizado na joalharia e o segundo para fins industriais. O ouro é usado mas continua a existir, estima-se que mais de 90% do ouro produzido desde há 5.000 anos ainda se encontra disponível. A prata é consumida, gasta-se.

Stocks_de_prata_e_ouro

Grandes investidores acumulam Prata

Quem se está a posicionar neste metal é um conjunto de investidores de altíssimo perfil internacional com reputações de estrelas topo, que fizeram fortunas por estarem à frente da multidão, por serem astutos e por detectarem oportunidades, apostarem forte e ganharem.

Desde há poucos anos, aproveitando os preços nominais mais baixos das duas ultimas décadas e meia, e os preços ajustados à inflação mais baixos em quase 100 anos, Warren Buffet, George Soros (e seu irmão Paul), Bill Gates, Tish e outros grandes investidores -incluindo alguns sheiks de petróleo do Médio Oriente - têm silenciosamente acumulado posições na prata ou em acções de empresas mineiras de prata. Eles têm estado a comprar porque reconhecem a enorme subvalorização da prata e o seu potencial.

Em 1997 Warren Buffet silenciosamente acumulou o que se acreditava na altura ser um terço das reservas disponíveis de prata acima do solo, comprando 130 milhões de onças por cerca de $650 milhões. Quando as aquisições foram conhecidas publicamente em Fevereiro de 1998, o preço da prata deu um salto temporário de 25%.

Os depósitos de ouro e prata descobertos durante a última década não chegam para cobrir a substituição futura de reservas para as grandes empresas mineiras. Há muito poucos depósitos destes metais que estejam em produção, em fase de avaliação ou mesmo em exploração. Mesmo que o preço do ouro e da prata subam de uma maneira dramática, para que iniciar produção em novas minas são necessários entre 5 e 7 anos. É preciso ter em conta que as minas são muito intensivas em custos e energia. As empresas mineiras não vão reagir com rapidez a um aumento súbito do preço, nem o poderiam fazer mesmo que quisessem. Este é um factor muito positivo.

Outro aspecto importante para entender como é que a situação de défice da oferta em relação à procura se mantém há mais de uma década e o preço do ouro e da prata não dispararam, é necessário conhecer o seu outro mercado.

Para além do mercado físico destes metais há ainda outro, o mercado de futuros, que é o mercado mais liquido (como para todas as mercadorias). Pode-se entrar e sair de um contrato de futuros em segundos. Isto dá liquidez ao mercado.

O mercado de ouro e prata é controlado pelas quantidades de contratos de futuros vendidos na Bolsa de Futuros. Esta condição não poderá manter-se para sempre, porque de ano para ano a disponibilidade fisica de prata diminui. Em algum momento este facto vai ser reconhecido pelo mercado e o preço irá subir substancialmente.

—————————————————————————————————————————-

Comentário publicado em Agosto de 2004

A Prata é melhor investimento do que o ouro

A Prata vai apresentar uma performance melhor do que o ouro nos próximos anos devido a várias razões, algumas delas são:

Défice

O consumo industrial e procura total de Prata excede a oferta das minas, o défice é proporcionalmente superior para a Prata do que para o ouro.

Escassez

A falta física de Prata deve-se às décadas de consumo industrial. Hoje em dia há menos Prata no mundo do que ouro. Mais de 90% do ouro produzido desde há mais de 5.000 anos encontra-se ainda sobre a face da terra, a Prata foi consumida.

Necessidade para a indústria

A indústria necessita de Prata, para poder fabricar os produtos que precisam de Prata.

Rácio histórico

O rácio histórico é de 16 onças de Prata por 1 onça de ouro em termos de preço. Encontra-se agora nos 60 por 1, ou seja, muito baixo em termos do valor da Prata.

Posições curtas

As posições curtas no mercado de derivados em Prata são astronomicamente grandes, muito maiores do que para o ouro, dado a Prata disponivel e a oferta. Estes futuros terão eventualmente de ser fechados, o que levará a subidas do preço.

Inelasticidade da oferta

Ao contrário do ouro, poucos mineiros produzem prata como metal primário. A maioria da prata é produzida como produto paralelo na minagem do ouro, cobre, niquel e zinco.

Preço

O preço da Prata é inferior ao do ouro o que significa que há mais pessoas que podem aceder à Prata como investimento.

 

—————————————————————————————————————————-

Atualização Novembro 2010

Comentários (2)

Subscrever RSS deste comentário.

Exibir/Ocultar comentários.
Prata pura
Para investir em prata na União Europeia, o melhor preço é na European Mint. Abraço.
Silver Coins , 30 de Abril, 2015 | http://www.europeanmint.com
Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar
bom-dia
Não acreditava mais ao empréstimo de dinheiro porque todos os bancos rejeitavam o meu processo; com efeito era fixada pelo meu banco. Mas um dia uma amiga aconselhou-me um prestamista específico cujo enviar por correio eletrónico deu-me. Tentei o golpe com ele dirigindo-lhe um email seguidamente aquilo andei. Tive a boa pessoa que procurava desde anos. Obtive o meu empréstimo que permite-me de bem viver atualmente e pago regularmente as minhas dívidas. Pode contactá-lo se estiver na necessidade de um empréstimo por diversas razões pessoais. Vários dos meus colegas receberam igualmente empréstimos sem nenhuma dificuldade. Eis seu Enviar por correio eletrónico: Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar
cappellaro , 15 de Maio, 2017

Escreva um comentário.


busy

AVISO: A informação contida neste website foi obtida de fontes consideradas credíveis, contudo não há garantia da sua exactidão. As opiniões aqui expressas são-no a titulo exclusivamente pessoal. Devido à variação dos objectivos de investimento individuais, este conteúdo não deve ser interpretado como conselhos para as necessidades particulares do leitor. As opinões expressas aqui são parte da nossa opinião nesta data e são sujeitas a alteração sem aviso. Qualquer acção resultante da utilização da leitura deste comentário independente do mercado, é da exclusiva responsabilidade do leitor.

Newsletter BonsInvestimentos

Assine gratuitamente a newsletter mensal BonsInvestimentos.
Nome:
E-mail: