Facebook BI

Sábado,�25 deNovembro,�2017
Ouro nos $1.300 - NL BonsInvestimentos Out 2010

Newsletter BonsInvestimentos.com
Revelando os Bons Investimentos nos mercados financeiros

Vol. 6 - Edição 10
Outubro de 2010

 

As Bolsas em Setembro 2010

Os índices bolsistas dos EUA terminaram com o melhor mês de Setembro desde 1939, o seu melhor em 71 anos. Isto foi referido em vários sítios, o que não foi referidos é que em 1939 esse também foi o máximo dos 11 anos seguintes.

O Dow Jones terminou nos 10.788 pontos, a ganhar 7,7%  no mês.

O Standard & Poors 500 fechou nos 1.141 pontos, um avanço mensal de 8,8%.

O Nasdaq Composite encerrou nos 2.368 pontos, uma subida de 12% em Setembro, o melhor desde 1998.

O PSI-20 terminou o mês ficando nos 7.508 pontos, uma subida de 1,53%.

taxas_ago10

Os bancos centrais estão a aguentar as taxas de juro que reduziram aos minimos de décadas para tentar enfrentar a crise. A Reserva Federal Americana, tem a taxa dos fundos federais nos 0,25%. O BCE tem a taxa de juro em 1%. Segundo a minha análise a margem de manobra nas taxas está esgotada, a partir daqui a tendência é de subida provavelmente a ter início nos próximos meses.

Spx_out_2010

Djia_out_2010

 

Compq_out_2010

PSI20_out_2010

 

 

The Big Picture - Outubro 2010


Os índices bolsistas americanos subiram em Setembro (ver As Bolsas em Outubro de 2010).

A Reserva Federal Americana (Fed), tem desvalorizado intencionalmente o Dólar Americano, criando dinheiro do ar, comprando obrigações aos bancos grandes. Esta injeção de dinheiro massiva através das operações POMO, em que foram efectuadas várias compras de biliões de dólar em Setembro o que levou as bolsas a subir.

O euro teve uma forte subida face ao dólar. E os metais preciosos beneficiaram, com o Ouro a atingir novos máximos de sempre acima dos $1.300 e a Prata acima dos $22.

A desvalorização da moeda da América, não vai beneficiar a sua população, nem as PME que são os motores do crescimento do PIB e do emprego.

O dinheiro que está a ser criado vai desintegrar-se nas próximas quedas das bolsas. Este dinheiro tem ido parar a instituições selectas de Wall Street.

Depois da China, a Fed é agora segunda maior detentora de obrigações do tesouro americano, tendo mais de $800 biliões de dólares. A continuarem as compras dentro de poucas semanas será a número 1.

Foi tomada a decisão de sacrificar o dólar americano e estimular as bolsas. O plano vai falhar e está a destruir a economia de várias formas. A minha análise aponta para que as bolsas vão cair nos próximos meses apesar dos estímulos.

Há agora 41,8 milhões de americanos a viver de food stamps, ou seja, a alimentarem-se com apoio do estado. Este é o país mais rico do mundo!



Entretanto o Ouro e a Prata continuam a valorizar-se ano após ano. É só uma questão de tempo para os metais preciosos começarem a ser notados diariamente na imprensa, à medida que o seu preço vai chegando a níveis superiores.

 

Os Mercados Cambiais em Setembro de 2010


Em Setembro o indíce do dólar americano, que representa um cabaz de seis moedas, fechou a cair  5,3% no mês ficando por volta dos 78,78 pontos.


O Euro terminou por volta dos $1,3633. A moeda da União Europeia, registou uma valorização em Setembo de quase 10 figuras ou 7,4% face à moeda verde, após ter tocado num mínimo de 4 anos no início de Junho por volta dos $1,19.

Contra o iene japonês o dólar perdeu 0,8% em  Setembro fechando por volta dos ¥83.53. Está em mínimos de 15 anos. Este foi o quinto mês de perdas. O Banco do Japão interviu no mercado quando o dólar caiu abaixo dos ¥83.

A moeda americana está em declínio e nos próximos anos vai deixar de ser a moeda de referência mundial. O indíce do dólar está por volta dos 79 pontos. O dólar americano teve um rally de contra ciclo de curto / médio prazo, segundo a minha análise a tendência de queda a médio e longo prazo mantem-se. Nas próximas semanas o dólar pode apresentar alguma força.
USD_out_2010

xeu_out_2010

 

Mais informações sobre os mercados cambiais em: Colapso do Dólar

 

 

Metais Preciosos em Setembro de 2010


O Ouro e a Prata fecharam o mês a subir e em novos máximos.


O Cobre para entrega em Dezembro fechou a ganhar 8,3% no mês, nos $3,65 por libra.


Os metais preciosos podem pontualmente assustar os investidores tanto como entusiasmam, mas segundo a minha análise a tendência de médio e longo prazo é de subida.


Mais informação sobre o Ouro e Prata em: Entrevista GATA

 

O contrato de Ouro para entrega em Dezembro na divisão Comex da New York Mercantile Exchange, terminou o mês nos $1.309,60 por onça. Os futuros acabaram a subir 4,7% em Setembro.

A minha análise aponta para o Ouro acima dos $1800 por onça nos próximos 12 meses. Quando este nivel for ultrapassado o Ouro poderá dirigir-se a médio prazo para cima dos $2500 por onça.

gold_out_2010

Mais informações sobre a ascensão do Ouro em: Venderam-se os Anéis

 

A Prata para entrega em Dezembro, terminou nos $21,82 por onça. Em Setembro subiu 12%.

A minha análise aponta para a Prata acima dos $27 por onça nos próximos 12 meses. Quando este nivel for ultrapassado a Prata irá dirigir-se no médio prazo para cima dos $50 por onça.

silver_out_2010

 

Mais informações sobre a ascensão da Prata em: A Prata vai ser Ouro

 

A Energia em Setembro de 2010


O preço do Petróleo crude West Texas na New York Mercantile Exchange para entrega em Novembro fechou o mês  nos $79,97 por barril. Em Setembro ganhou 11,2%.


A curto prazo, o preço do Petróleo está consolidar as subidas dos últimos meses estando a transaccionar numa banda. Considero que nos próximos 12 meses pode passar novamente os $100, sendo que nos próximos 24 meses podem ser atingidos novos máximos de sempre e que o crude está numa tendência de subida a longo prazo.

wtic_out_2010

O contrato de Gás Natural para entrega em Novembro fechou nos $3,87 por milhões de BTUs (British Thermal Units) na Nymex. No mês fechou a subir 2%.

Segundo a minha análise a médio e longo prazo a tendência do Gás Natural é de subida.

natgas_out_2010

 

 

 

Infografia do Ouro


 

AVISO: A informação contida neste website foi obtida de fontes consideradas credíveis, contudo não há garantia da sua exactidão. As opiniões aqui expressas são-no a titulo exclusivamente pessoal. Devido à variação dos objectivos de investimento individuais, este conteúdo não deve ser interpretado como conselhos para as necessidades particulares do leitor. As opinões expressas aqui são parte da nossa opinião nesta data e são sujeitas a alteração sem aviso. Qualquer acção resultante da utilização da leitura deste comentário independente do mercado, é da exclusiva responsabilidade do leitor.