Facebook BI

Segunda-Feira,�25 deSetembro,�2017
Espanha sai do Euro? - NL BonsInvestimentos Abr 2012

Newsletter BonsInvestimentos.com
Revelando os Bons Investimentos nos mercados financeiros

Vol. 8 - Edição 4
Abril de 2012

 

As Bolsas em Março de 2012

Os índices bolsistas dos EUA terminaram Março de 2012 continuando as subidas dos dois primeiros meses do ano, fechando um trimestre muito positivo.

O Dow Jones terminou nos 13.212 pontos, registando um ganho de 8,1% no trimestre.

O Standard & Poors 500 fechou nos 1.408 pontos, uma subida trimestral de 12%.

O Nasdaq Composite encerrou nos 3.097 pontos, dando-lhe um ganho nos primeiros três meses de 18,7%.

Performance das bolsas internacionais em 2012

O PSI-20 acabou, terminando Março de 2012 nos 5.556 pontos.

Juro do Banco Central
Divisa
audaud 4.25%
nzdnzd 2.50%
eureur 1.00%
gbpgbp 0.50%
cadcad 1.00%
usdusd 0.25%
chfchf 0%
jpyjpy 0.10%

Os bancos centrais estão a aguentar as taxas de juro que reduziram aos minimos de décadas para tentar enfrentar a crise. A Reserva Federal Americana, tem a taxa dos fundos federais nos 0,25% e o BCE tem a taxa de juro em 1% e vão ter inevitavelmente de começar a subir as taxas. Segundo a minha análise a margem de manobra nas taxas está limitada, a partir daqui a tendência é de subida.

 

The Big Picture - Abril 2012

Os índices bolsistas americanos fecharam a subir em Março de 2012, registando o trimestre mais positivo de vários anos e em zona de máximos multi-anuais. A minha análise aponta para que em de Abril a subida de Outubro e Dezembro de 2011 faça um topo e se siga uma queda de pelo menos 5 a 10% nas bolsas.

O Ouro e a Prata subiram no trimestre. O dólar caiu e os problemas da zona euro continuam, o crude west texas está acima dos $100 por barril.
A nova directora do FMI, Christine Lagarde, foi a Washington pedir mais uns biliões para continuar a apoiar os bancos europeus insolventes e continuar a colocar mais peso sob a forma de dívida dos países em desenvolvimento, para continuarem no caminho da escravatura em que nos encontramos.

Quando as bolsas estiverem  com quedas de 10% ou mais, de novo, é provavel que a  Fed anuncie novos estímulos nos mercados e as bolsas terão mais uma subida em 2012 para a formação de um mega topo multi-anual a que se seguirão quedas fortes com a duração de vários anos. O mega topo das bolsas pode coincidir com as eleições americanas agendadas para Novembro deste ano.

A servidão da dívida já começa a ficar clara para todos. Claro que os subsidios de natal e férias nunca vão voltar em Portugal, a pequena margem estimada vai ser necessária para pagar os juros à Troika e nem assim chegará.

 

Ver artigo (clicar no título):
Chamou-se a si próprio assassino económico no livro “Confessions of an Economic Hit Man”, que se tornou bestseller do “New York Times”.

Os bancos centrais têm desencadeado mega intervenções nos últimos anos sempre que as bolsas caem mais de 10% ou os bancos estão em perigo sério. Isso aconteceu nos EUA em 2009 com a QE1, em 2010 com a QE2 e em 2011 com a Operação Twist. Já o Banco Central Europeu com as operações de refinanciamento de longo prazo (LTRO) em Dezembro de 2011 e finais de Fevereiro de 2012, essencialmente emprestaram 1 TRILIÃO de euros a 1% durante 3 anos, para evitar o colapso imediato dos bancos.

É impressionante como os políticos e economistas continuam a fazer promessas e estimativas e ainda esperam que o público acredite. Ninguém que tenha estado atento nos últimos anos ainda acredita que a UE e o euro são projectos com hipóteses mínimas de funcionar na forma actual.

Os EUA apresentaram dados péssimos de criação de emprego que foi apenas de 120.000 empregos, quando o necessário para manter o ritmo de crescimento da população é de 250.000 empregos por mês.

Há 242 milhões de americanos com idade para trabalhar, e 100 milhões não estão a trabalhar... Mas não se preocupem o governo federal diz que apenas 13 milhões estão no desemprego. Os outros 87 milhões vivem de rendimentos, supostamente.

Neste momento há 46,5 milhões de americanos (15% da população!) que usa senhas de comida do governo todas as semanas para sobreviver.

Ficámos a saber que em 2010, mais de 57% das famílias portuguesas não pagou IRS, as restantes 43% pagou 9,7 mil milhões de euros. As empresas caem como moscas, com as condições draconianas fiscais e regulamentares, com um Estado sempre à caça de mais receitas e ainda o efeito dominó de falta de liquidez. A grande amioria das empresas portuguesas não paga ou não recebe a tempo, só com muitos meses de atraso e quando as empresas clientes entram em insolvência perde-se o valor total que era suposto facturar e como bónus tem de se pagar os impostos há mesma, sistema fantástico!


E agora começamos a ser atingidos pela nova onda que é a subida crescente do preço do Petróleo, que representa um sobrecusto, há quem lhe chame um imposto extra sobre toda a economia e leva todos os outros preços a subir.

Alertamos que é possivel nos próximos 18 meses a Grécia abandone o Euro, ou talvez para grande surpresa geral esse anúncio surpresa apareça de Espanha que começa a sentir a forte pressão dos mercados. Portugal sairá do euro em seguida, não há alternativas. Quanto mais tempo demorar, pior.

Ver artigo (clicar no título para ler):

Gonzalo Lira - Spain will exit the eurozone first - this year

 

O primeiro país a sair do euro estará em vantagem, pois irá beneficiar imediatamente da desvalorização, enquanto os outros se preparam/decidem, sofrendo fugas de capitais e disparar do risco.

Podemos antecipar que a volatilidade  nos mercados vai aumentar, com movimentos fortes e bruscos, com momentos de consolidação pelo meio. As macro tendências são as mesmas dos últimos 10 anos, bolsas em tendência descendente e metais preciosos em tendência ascendente.

logo_golddirect-pt

Os próximos anos vão ser bons para quem tem metais preciosos. Segundo a minha análise, a médio e longo prazo, o ouro e a prata vão continuar a valorizar. No primeiro trimestre de 2012 poderemos assistir a algumas correções acompanhando quedas nas bolsas. São os saldos nos próximos meses e os investidores astutos vão aproveitar este período para comprar  e acumular os metais preciosos e as acções mineiras. A Prata está a recuar e apanhar balanço para passar os $50 e começar a ter esse nivel como suporte em vez de resistência.

 

O Forex em Março de 2012

Em Março de 2012 o indíce do dólar americano, DXY, que representa um cabaz de seis moedas, fechou por volta dos 78,97 pontos, uma queda de 1,5% no trimestre.

O cross EURUSD terminou por volta dos $1,3341. A moeda da União Europeia, fechou a subir 3% face à moeda verde nos primeiros três meses de 2012.

O iene japonês, no USDJPY, o dólar fechou Março por volta dos ¥82,83, uma subida de 7,7% face ao iene este ano.

A libra inglesa GBPUSD, subiu no mês face ao dólar fechando pelos $1,60.

A moeda americana está em declínio e nos próximos anos vai deixar de ser a moeda de referência mundial. O indíce do dólar está por volta dos 79 pontos. Segundo a minha análise a tendência de queda a médio e longo prazo mantem-se, apesar de que a curto prazo, em 2012 pode ter um rally.

Mais informações sobre os mercados cambiais em: Colapso do Dólar

 

Ouro e Prata em Março de 2012

Umicore__silver_gold_bars.197193947

O Ouro e a Prata valorizaram durante o primeiro trimestre de 2012.

Os metais preciosos podem pontualmente assustar os investidores tanto como entusiasmam, mas segundo a minha análise a tendência de médio e longo prazo é de subida.


Mais informação sobre o Ouro e Prata em: Entrevista GATA

O contrato de Ouro para entrega em Junho na divisão Comex da New York Mercantile Exchange, terminou o ano nos $1.671,90 por onça. Os futuros acabaram a ganhar 6,7% no trimestre.

A minha análise aponta para o Ouro acima dos $2000 por onça em 2012, registando novos máximos de sempre. Quando este nivel for ultrapassado o Ouro poderá dirigir-se a médio prazo para cima dos $3000 por onça.

Mais informações sobre a ascensão do Ouro em: Venderam-se os Anéis

 

A Prata para entrega em Maio, terminou nos $32,48 por onça. Valorizou 16% no trimestre.

A minha análise aponta para a Prata acima dos $50 por onça em 2012 e para novos máximos de sempre. Quando este nivel for ultrapassado a Prata irá dirigir-se no médio prazo para cima dos $80 por onça.

 

Mais informações sobre a ascensão da Prata em: A Prata vai ser Ouro

O Cobre para entrega em Maio fechou nos $3,83 por libra, fechando o trimestre a subir 11%.

O Paládio para entrega em Junho, fechou nos $654,10 por onça, recuou 0,3% nos primeiros três meses de 2012.

A Platina para entrega em Julho, fechou nos $1644,10 por onça. Valorizou 17% no trimestre.

 

O Petróleo e o Gás Natural em Março de 2012

O preço do Petróleo crude West Texas na New York Mercantile Exchange para entrega em Maio fechou o ano nos $103,02 por barril. No trimestre ganhou 4,2%.

Segundo a minha análise nos próximos 18 meses podem ser atingidos novos máximos de sempre no Petróleo, com os media a finalmente reconhecerem o Peak Oil. O crude está numa tendência de subida a médio e longo prazo.

O contrato de Gás Natural para entrega em Maio fechou nos $2,13 por milhões de BTUs (British Thermal Units) na Nymex. No trimestre fechou a colapsar 29%.

Segundo a minha análise a médio e longo prazo a tendência do Gás Natural é de subida.

 

 

 

 

AVISO: A informação contida neste website foi obtida de fontes consideradas credíveis, contudo não há garantia da sua exactidão. As opiniões aqui expressas são-no a titulo exclusivamente pessoal. Devido à variação dos objectivos de investimento individuais, este conteúdo não deve ser interpretado como conselhos para as necessidades particulares do leitor. As opinões expressas aqui são parte da nossa opinião nesta data e são sujeitas a alteração sem aviso. Qualquer acção resultante da utilização da leitura deste comentário independente do mercado, é da exclusiva responsabilidade do leitor.